terça-feira, 26 de agosto de 2008

always and never

valkyria toma um balão clássico. daqueles 'até amanhã' que faz qualquer mulher fazer a unha...
e espera. e liga...
toca a segunda linha. daqui a pouco ele retorna...
e depois de fumar o terceiro cigarro ela percebe q não. ele não virá.
sai da redação blasfemando amaldiçoando gerações da família do Breno.

'filho de uma puta. deve ter arrumado coisa melhor pra fazer.

quando ele estava no meu quarto o telefone tocou e ele não atendeu. deve ter outra no pau dele agora...'
ela tenta não pensar nisso e trabalhar. mas todos os textos falam de amor e ela não pode traduzir amor hoje.

hoje não.
hoje ela quer fumar muito. beber muito. bater em alguém.

hoje ela transpira ódio...

'como um nerd como o Breno pode recusar um presente desse tamanho...
o que ele tem de melhor pra fazer hoje do que me fuder ???
tífüdê

se for aquela ex-namoradinha nojenta que ele nunca mais me ligue.
aliás. que ele nunca mais me ligue. na vida !'

entra na sala de café e ataca a maquina de capuccino. exagera na canela. fuma um cigarro escondido no banheirinho. pega mais dois capuccinos e volta pra sua mesa.
tenta voltar ao trabalho. mas pensa em quanto tempo não abre seus e-mails... resolve ver se tem alguma piada ou slide interessante.
quem sabe o flyer de uma balada super interessante.

'esse muleque não vai me tirar o sono.'

e é então que valkyria vê um e-mail de Italo... Italo Kendall.
o único homem capaz de fazê-la tremer. só de ver o nome dele na sua caixa de mensagens.

o homem q há 7 anos atrás enlouqueceu sua vida. sua mente. seu coração e foi embora.
fazer um mochilão pela Europa... depois ela soube que ele foi pra Austrália...
mas nunca foram de trocar e-mails... no começo ele mandou umas fotos. mas, o que era aquele e-mail?!?
e era quase um telegrama.

'passo pelo Brasil na sexta. só fico uma semana.
ainda sinto seu cheiro. quero te ver. vou te achar.

sexta ?!?
q sexta ?!?

hoje é sexta !?!

é hoje ?!?

a sexta ?!?

o telefone toca... um número desconhecido...
a voz quase não diz o alô. e ela ouve a risada de Italo... a risada que ela nunca vai esquecer e que faz com que ela derrube um dos capuccinos no texto que ela teria que traduzir.

'buon giorno principeza' diz Italo com um sorriso na voz.

valkyria grita tão alto que todos na sala se assustam.
eles conversam em italiano e marcam de se encontrar no café de sempre.
pouco depois da hora do almoço valkyria corre pra casa pra tomar um banho. trocar de roupa e passar seu perfume novo. ainda bem q tinha feito as unhas. o Breno é um cara muito legal.

assim que chega no café vê Italo na máquina de pin ball... lindo...
moreno do sol australiano e com os cabelos muito pretos e desarrumados.

ele se vira e ela vê os olhos verdes mais brilhantes que ela já viu na vida. e o sorriso mais sincero.

eles se abraçam gritando ... sete anos longe ...
e eles ainda têm o mesmo cheiro...

-cara olha o teu cabelo !
-você colocou pircing no nariz sua maluca.

-e no mamilo. hahahaha

-até que teve coraaagem...

-eu não falei que faria ??? sou uma mulher de palavra, esqueceu.

-não esqueci nada, minha maluca... nada...
-meu Deus... que saudade desse abraço. desse teu cheiro.

-que saudade de você minha branquela... saudade desse coração acelerado saindo do teu peito.

se olharam. e ficaram abraçados. calados. como se estivessem sozinhos numa praia deserta.
não ouviam nada. não falavam nada. não viam mais nada. que não fosse os seus olhos.
brilhantes como a muito tempo esses pares de olhos não brilhavam...

-vocês vão beber alguma coisa ? -perguntou a garçonete.
-uma vodka. -disseram quase juntos.
-duas. –disseram juntos.

gargalharam... sentaram e começaram a falar sobre a distancia dos sete longos anos. do q fizeram juntos. o que fizeram separados. são sete anos...
beberam a vodka. fumaram cigarros. ele perguntou se ela tinha outro tipo de cigarro. ela nem respondeu. Ffz cara de deboche. ele riu e perguntou se ela queria ir com ele ver as fotos no hotel.
mas disse isso com um olhar que a despiu em 10 seg. e fez com que ela não tivesse palavras, nem cara de deboche.
pediram uma garrafa de vodka e foram pro hotel.

fumaram o cigarro mais prazeroso dos últimos sete anos pra ambos.

conversaram sobre tudo. sempre muito perto ou mesmo se tocando. bebendo a vodka... por vezes no gargalo...
tiveram a melhor noite de suas vidas...

fizeram amor olhando nos olhos. fazendo as declarações mais lindas. e treparam feito animais... se mordendo e se xingando.

adormeceram no chão do lado da cama e acordaram bêbados e confusos.

tomaram um delicioso banho demorado juntos. ignorando o trabalho dela...

café na cama.beijos e mais confissões.

iam lembrando juntos a noite. claro que cada um lembrava uma coisa... e algumas foram esquecidas por completo...
a vodka. claro.

valkyria começou a se trocar e ensaiar a desculpa que ia dar pelo atraso gigantesco...

-vou embora hoje a noite. - disse Italo no meio da cama fumando mais um daqueles cigarros...
-mas você não ia ficar no Brasil uma semana ?

-eu vou.
-e pra onde você vai ?

-floripa..

-FILHODAPUTA você vai conhecer floripa !

-... sou um homem de palavra, esqueceu.
-filhodapuuuta...

-vai fumar ?

valkyria pensa. olha o baseado queimando na frente dela. Italo deitado e só coberto com lençol.
pega o celular. liga pro trabalho dizendo q está doente. fuma e volta pra cama... pro ombro de Italo. sem saber pensam juntos como teria sido a vida de um se tivesse seguido a do outro...

e os dois pensaram juntos [sem saber] que foi lindo como a vida deles fez com que eles voltassem pra eles...

6 comentários:

Sara disse...

Gostei daqui tbm(rs). =* Voltarei.

Thiago De Sousa disse...

Só tenho a dizer uma coisa: Parabens, li o texto td sem piscar os olhos até o fim. A medida q vc vai lendo as cenas vao surgindo na sua mente e tem um dialogo q nao é meloso e nem de conte de fadas, isso o faz mais interesante.

Iza. disse...

nossos contos de fadas são tão realistas que dá pra sentir o cheiro dos lençois naquele leito daqui.

vc sempre escrevendo muito bem.
deve ser o Italo.

beijo

Daniel Souza disse...

E bem, bem, bem bonito. Ainda pergunto a terapeuta pq tanto me agrada os blogs das moças que relatam os encontros, sejam estes, bons ou ruins, existentes na realidade ou apenas na ficção.
Moças assim sabem dar ( literalmente? Nem sei!) sem esperar ( leia-se: cobrar ) nada em troca.
Por isso, tão encantadoras.
Ainda volto aqui.
Parabéns.

Meu mundo mágico *** disse...

Adorei!"!!!

Vivi Floripi disse...

saudade daqui...